quarta-feira, 29 de novembro de 2017

O que visitar em Córdoba (o passeio continua)

Continuando o nosso passeio por Córdoba contornámos parte da muralha que ainda subsiste e que, em tempos, envolvia toda a cidade até ao Alcazar.


A muralha ainda mantém algumas das antigas portas, cada uma dedicada a uma figura histórica. Nesta encontramos a estátua de Averroes o grande filósofo e médico muçulmano andaluz contemporâneo do também grande filósofo religioso e médico judeu nascido em Córdoba, Maimónides. Estes dois homens foram considerados os grandes pensadores do século XII. Numa altura de intolerância religiosa Averroes e Maimónides consolidaram uma amizade devotada à ciência.




A Porta Almodôvar leva-nos à judiaria, o antigo bairro islâmico.



As ruas sinuosas e estreitas tinham dois propósitos, proteger do calor e do assalto de eventuais inimigos que facilmente se perdiam e caiam em emboscadas.



Um intrincado de ruas onde, por vezes, o nosso sentido de orientação prega-nos partidas valentes. Mas, querem um conselho? Percam-se…..




Plaza del Potro onde na idade média se situava a principal hospedaria da cidade local de  onde se realizavam todo o género de "transações" e onde a guarda era chamada muitas vezes a intervir, vá lá saber-se o porquê!?


La Calleja del Pañuelo, uma ruela com 70 cm de largura que termina uma reduzida pracinha com uma fonte e uma laranjeira e constantemente invadida por turistas que não querem deixar passar a oportunidade de tirar uma foto naquela que é a rua mais estreita da cidade.

La Plaza de la Corredera a maior praça da cidade e onde, em tempos, se realizavam as corridas de touros. Dessa altura vem a tradição da sopa de rabo de boi, a sopa das gentes mais pobres que aproveitavam o rabo do boi que era deitado fora.

Mas o interessante sobre esta praça reside, sobretudo, na história dos dois edifícios que se destacam de todos os outros. Um é o mercado de Sanchez Peña, que foi sede de município, prisão e fábrica de sombreros, o outro, um edifício do século XV, é a Casa de D.Ana Jacinto, mulher de armas, que ousou afrontar o rei Carlos II, ao recusar deixar a sua casa ser demolida para ampliar a praça. Reza a história que como castigo o monarca ordenou que se pendurassem panos pretos a tapar as janelas do edifício para impedir a entrada de luz e sobretudo impedir que a moradora visse o que se passava na praça. 




O Palácio de Viana local incontornável da cidade onde cabem cinco séculos da história da nobreza “mais nobre” de Córdoba. Interessante descobrir este palácio que, desde o século XV, em que era uma simples casa medieval, sofreu grandes ampliações até se tornar num aglomerado de casas senhoriais ligada por 12 pátios. Atualmente é um centro cultural importante e palco de diversas exposições.





E por fim acedam ao link e não percam os coloridos Pátios Cordobeses. Ai, se as fotografias tivessem cheiro....

Ver mais de Córdoba

Sem comentários:

Enviar um comentário