terça-feira, 21 de novembro de 2017

Mesquita - Catedral de Córdoba






Sobre este monumento muito se poderá escrever, pois a sua rica e vasta história dá assunto que chegue para muitos livros e daqueles com muitas páginas. Por isso vou limitar-me a uma breve introdução histórica, apenas para contextualizar o monumento em si porque o que se vê é tão impactante que as palavras quase que deixam de ser necessárias. Alerto que as fotos não fazem jus à realidade por isso… façam as malas, rumem até Córdoba e vejam esta obra de arte com os vossos próprios olhos.


O exterior da mesquita tem uma fachada coroada de ameias e várias portas de entrada. Esta é a fachada oeste em frente ao Palácio dos Bispos.




A mesquita-catedral representa o período de máximo esplendor de Córdoba e testemunha a forma como várias civilizações se sobrepuseram num só edifício. Começou por ser um templo romano dedicado ao sol, depois uma igreja visigótica, uma mesquita e por fim uma catedral. 






A decisão de construir uma catedral no interior da mesquita não foi pacífica mas a alternativa seria a demolição e os nobres da cidade que desde os tempos visigóticos tinham as suas capelas privadas na mesquita opuseram-se fortemente, pois deixariam, assim, de ter onde sepultar os seus.





O Rei Carlos V autorizou, portanto, (embora mais tarde viesse a lamentar a sua decisão) o que parece ser um enxerto arquitetónico na que é considerada a maior mesquita do mundo ocidental.








Porta de Santa Catalina a entrada este para o Pátio das Laranjeiras.

O Pátio das Laranjeiras faz as honras da visita a este monumento, uma imagem de frescura no calor abrasador que se fazia sentir.



Durante a era muçulmana o pátio era o local das “ablações” as lavagens rituais obrigatórias que precediam as orações.





As galerias circundantes eram o local de oração das mulheres. 


No lado norte a Porta do Perdão por onde entravam aqueles que aguardavam a bênção do perdão.



A Torre Minarete, ao lado da Porta do Perdão foi a primeira a ser construída em Espanha e data do tempo de Abdamarram III pese embora as sucessivas intervenções tivessem alterado a estrutura original. 




Do cimo da Torre uma fantástica vista sobre os telhados, as ruas e os pátios da cidade velha.



O Pátio das laranjeiras visto de cima. 


Uma outra perspetiva e daqui consegue-se ter a perceção das várias alterações arquitetónicas que este monumento sofreu ao longo dos séculos, nomeadamente a construção da catedral cuja estrutura parece ter "aterrado" no telhado da Mesquita.





O que visitar em Córdoba

Ver mais de Córdoba

Pátios Floridos de Córdoba


2 comentários: