sábado, 8 de outubro de 2016

Hallstatt


Uma das imagens mais divulgadas da Austría é a de uma pequena aldeia situada nas margens do Lago Hallstätter – Hallstätter See!  Um cenário idílico de casinhas com os beirais floridos onde sobressai a torre pontiaguda de uma antiga igreja tendo como pano de fundo os Alpes.

Diz-se de Hallstatt que foi milhões de vezes fotografada, uma vez recriada (numa província chinesa foi construída uma cópia de Hallstatt) mas nunca igualada.



Tem pouco mais de 1000 habitantes esta localidade situada na região de Salzkammergut, na Alta Austría, a cerca de 60 Km de Salzburg e 300 Km de Viena. Depois de a visitar compreende-se por que foi Declarada Património da Humanidade pela UNESCO. Fez-se justiça às suas belas paisagens e à sua importância na história durante o período de transição para a Idade do Ferro. Tanto que esta época ficou sendo conhecida pela Civilização de Hallstatt. A descoberta de um cemitério pré-histórico com mais de 1000 campas, em 1846, e o achado de vários artefactos, entre eles a que é considerada a escada de madeira mais antiga do mundo, construída pelo homem, permitem estabelecer povoados nesta zona para além do ano 5000 a.c. Apesar de até ao século XIX os únicos acessos à povoação serem possíveis, apenas por barco ou por trilhos sinuosos pela montanha, os recursos naturais desta região permitiram um grande desenvolvimento comercial e cultural, em parte devido à extração de sal nas minas, que dizem os historiadores, são as mais antigas do mundo. As Minas de Hallstatt, numa das encostas da montanha, estão abertas ao público e proporcionam uma interessante lição de história e de geologia. (Os bilhetes são muito caros mas vale a pena a visita).



Apesar das multidões consegue-se um espaço próprio, respirar fundo e desfrutar do que a nossa vista abarca no momento. E as fotos, no final, ficam sempre aquém da realidade.


Um dia é suficiente para conhecer Hallsatt. Para quem vai de carro, à entrada de Hallstatt existem vários parques de estacionamento. São um pouco caros mas estão bem situados e as alternativas são escassas.

Local turístico por excelência, centenas de pessoas nas ruas, lojas de souvenirs por toda a parte, restaurantes e hotéis que oferecem estadias memoráveis.

Mas aqui nunca se vai ao engano!






Um passeio de barco pelo lago.


Um almoço com vista.


Da ementa foram estas as nossa escolhas:

Gullasch comida tradicional dos vaqueiros húngaros que se tornou muito popular no antigo império austro-hungaro e que se mantém nas ementas dos restaurantes austríacos. É um prato de carne de vaca ou porco cortada aos pedaços, alourada em gordura quente, à qual se junta farinha, cebola e especiarias.

Frittatensuppe sopa de caldo de legumes com panquecas cortadas em tiras.

 Depois do substancial almoço austríaco apetecia ficar ali a tarde toda apenas a olhar...



Mas prontos para conhecer um pouco mais de Hallstatt?

Praça principal de da aldeia - Markplatz


No centro a estatura que representa a Santíssima Trindade que, após seis anos de ali estar testemunhou a tragédia de 1750, em que uma enorme explosão destruiu parte da praça e matou 4 pessoas

Foi tudo reconstruido como devia ser e atualmente o ex-libris de Hallsatt é uma pequena e muito simpática praça com muito movimento e cor rodeada de casinhas típicas enfeitadas com flores.


Ainda no centro a Igreja Evangélica de Hallsattt - Evangelische Kirche, com a sua famosa torre pontiaguda. Começou por ser uma casa de oração e uma escola, só passando a igreja depois do édito (Protestant Patent of Emperor Franz Joseph I – 1861) do Imperador Francisco José I permitir aos evangelistas o livre exercício dos seus direitos políticos e religiosos. Hoje é palco de concertos e festivais de música de verão.


Um pouco mais à frente depois de uma ligeira curva à direita, o lugar mais procurado de Hallstatt. É só esperar um pouco e consegue-se a tão esperada foto. Aquela que nos vai proporcionar uma verdadeira recordação de Hallstatt.


Subimos para a parte alta da cidade.




Igreja Católica de Hallsatt – Pfarrkirch. O seu telhado que lembra o de um pagode chinês sobressai na paisagem. Construída no século XV ainda mantém o retábulo original da Virgem Maria ladeada pelas santas padroeiras dos mineiros, Stª Catarina, e dos lenhadores, Stª Bárbara.


Em tempos idos havia que encontrar local para enterrar os mortos. O chão começava a ser escasso e então o povo pediu autorização à igreja para em vez de enterradas, as ossadas ficassem expostas. E na Igreja Católica da aldeia surgiu um Museu dos Ossos – Beinhaus, com cerca de um milhar de crânios humanos pintados com motivos florais, com o nome da pessoa, data e causa da morte e por vezes a profissão. Esta prática deixou de ser seguida quando a população conseguiu autorização para a cremação dos corpos.

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Hallstatt_-_Beinhaus_4.jpg

O cemitério, à semelhança do que se vê nas igrejas por toda a Áustria é um autêntico jardim. Quase nos esquecemos do seu verdadeiro propósito.


Outras vistas:




O Hotel Güner Baum que contou, em tempos, entre os seus hóspedes mais famosos com a presença Imperatriz Sissi.


Não nos cansamos:




Voltámos ao ponto de partida.



Ainda com esperança de subir ao Miradouro dos Cinco Dedos - "Five Fingers" como é conhecido. Fica a cerca de 10 minutos de carro e segue-se a estrada em sentido contrário à saída de Hallstatt. Pelo que dizem, de lá conseguem-se mais panoramas extraordinários sobre as montanhas e o lago. Acredito.... mas naquela altura chovia torrencialmente e o nevoeiro era cerrado por isso, fico-me pelo testemunho dos outros. Mas não percam e se lá forem partilhem as vossas fotos.


https://en.wikipedia.org/wiki/5_Fingers_(Austria)#/media/File:5_fingers.jpg

11 comentários:

  1. Uau, eu sempre achei a Austria um cartão postal e vejo aqui pelas suas fotos como isso é verdade! Na verdade estou pensando seriamente em ir para lá ano que vem visitar uma amiga que mora em Viena. Gostei muito do seu post!

    Bia <º(((<

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Beatriz. A Áustria é um país muito bonito e fácil de conhecer vai gostar com certeza. Se precisar de alguma dica ou sugestões diga...e brevemente vão sair mais artigos sobre a Áustria :-)

      Eliminar
  2. Adorei este post. Sigo o seu Setepraias e já tirei algumas dicas para as minhas viagens. Aguardo mais sobre a Austria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, fico contente em ter a sua companhia aqui nas minhas praias. Só mais um pouco e saem mais artigos sobre a Áustria :-)

      Eliminar
  3. Perante estas imagens idealizo um fim de semana passado numa daquelas casinhas no sopé das montanhas, junto ao lago... parece um sonho! Vou já acrescentar na minha lista de locais a visitar.

    ResponderEliminar
  4. Também me apeteceu ficar uns dias ali a usufruir daquelas paisagens mas o resto da Austria aguardava-nos :-)

    ResponderEliminar
  5. Que lugar encantador. E como já nos vai habituando, fiz essa pequena visita através das tuas belíssimas fotos (perspectivas, composições, enquadramentos)e dos teus textos.

    ResponderEliminar
  6. Obrigada Teresa. Ias adorar passear por lá!

    ResponderEliminar
  7. muito bom.Aguardo os próximos artigos ,onde vou tirar muitas dicas para a minha viagem de 2017 ( toda a Áustria de carro e bicicleta )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada.... vai gostar muito da Austria. O percurso foi aquele que está no meu primeiro post sobre a Austria. Os próximos artigos serão sobre os locais onde fomos e espero que sejam uteis. Se precisar de informações é só dizer :-)

      Eliminar
  8. Também quero.... acho que me estás quase a convencer. Isto é lindo!

    ResponderEliminar