domingo, 19 de abril de 2015

O lugar a que se volta é sempre outro...


(...)Partir!
Nunca voltarei,
Nunca voltarei porque nunca se volta.
O lugar a que se volta é sempre outro,
A gare a que se volta é outra.
Já não está a mesma gente, nem a mesma luz, nem a mesma filosofia(...)
by Álvaro de Campos


Cada um viaja à sua maneira. 
Há os que chegam a um novo sítio e não param, visitam todos os museus, praças, miradouros e outros locais tidos como interessantes no guia…tudo isso em 3 dias com muitas fotos. Há os que embarcam num avião rumo aos trópicos e aí ficam deitados ao sol até ao dia do regresso. Há os aventureiros sempre à procura de emoções fortes e há todos os outros… Mas no final, o que interessa? O modo como se está e se visita um país, uma cidade? Ou aquilo que fica do que se fez, do que se viu, do que se viveu? 
O importante é o que nos enriquece e o que nos muda.
É aquilo que no regresso a casa nos faz olhar para tudo como se fosse a primeira vez!

3 comentários:

  1. Definitivamente o que fica do que se viu, fez e viveu!!!!

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Beta....pelo incentivo que me deste.

    ResponderEliminar
  3. Sem dúvida é aquilo que fica que nos enriquece. Ah e eu gostava de ser ainda mais rica...
    Beijinhos
    Catarina Roque

    ResponderEliminar